Oposição quer suspender reajuste na tarifa do transporte coletivo‏


Post

Vereadores oposicionistas querem tornar sem efeito decreto do prefeito de Imperatriz, Assis Ramos, que reajustou os preços das tarifas do transporte coletivo no Município. O decreto foi assinado no dia 17 de janeiro e as novas tarifas começaram a vigorar a partir do dia 19 desse mês, período em que a Câmara Municipal estava em recesso legislativo.
Com o reajuste, as passagens passaram de R$ 3,50 para R$ 3,90, na zona urbana; e de R$ 7 para R$ 7,75, nas linhas da zona rural, tornando o transporte público em Imperatriz um dos mais caros do Maranhão.
Na sessão ordinária desta quarta-feira (06), a primeira depois da volta do recesso, os vereadores Carlos Hermes (PCdoB), Bebé Taxista (Patriota) e Aurélio Gomes (PT), apresentaram um Decreto Legislativo com um objetivo de sustar os efeitos do decreto assinado pelo prefeito concedendo o reajuste nas tarifas dos coletivos.
Os vereadores entendem que cabe à Câmara Municipal decidir sobre o reajuste do transporte coletivo. "O prefeito quer governar através de decreto. Essa matéria é de interesse da comunidade, pois afeta o bolso do trabalhador e de todas as pessoas que usam o transporte coletivo de passageiros. Não poderia ter sido tomada à revelia de votação no Plenário da Câmara Municipal. Vamos lutar para tornar sem efeito o decreto baixado pelo prefeito. Esta Casa precisa ser respeitada", declarou o vereador Aurélio Gomes.
O presidente José Carlos Soares encaminhou a matéria à Procuradoria da Câmara Municipal para ser analisada. A oposição espera votar o texto em Plenário nas próximas sessões.