Projeto cria Semana Municipal da Família‏


Post

O Plenário aprovou por unanimidade na sessão desta quarta-feira (25), Projeto de Lei Ordinária (PLO) que institui a Semana Municipal da Família no calendário oficial de eventos do Município de Imperatriz. O autor da matéria é o vereador Pedro Gomes (PSC), ex-conselheiro tutelar militante dos movimentos pastorais da Igreja Católica.

De acordo com o projeto, as atividades da Semana da Família ocorrerão sempre na segunda semana de agosto.

O vereador comemorou a aprovação do primeiro projeto de lei em seu primeiro ano de mandato: “Esse projeto foi pensado há seis anos pelo amigo Evaldo, da Pastoral da Família. E eu dizia naquela época que ao chegar nesta Casa, este seria um dos primeiros projetos que iríamos apresentar aqui. Hoje estou feliz por Deus ter me dado a graça de eu estar aqui e poder apresentar a esse projeto. Eu que vim de uma família da qual carrego até hoje os valores ensinados por meu pai e minha mãe”.

Entre os objetivos da Semana da Família estão a comemoração da existência da família; o incentivo da transferência do conhecimento e a preservação da herança de direitos, valores e crenças familiares, como meio de preservar a ética, a moral e os bons costumes dos cidadãos; a promoção da paz e da fraternidade; e a integração das famílias.

Caberá ao Poder Executivo buscar apoio dos poderes Federal e Estadual e de órgãos e instituições ligados à defesa da família e das diversas igrejas para promover palestras, seminários, debates e campanhas destinadas a preservar os valores familiares.

“Tive o prazer de trabalhar como conselheiro tutelar junto às famílias de Imperatriz e ser testemunha de tantas coisas ruins que acontecem com nossas famílias, e perceber que as únicas instituições que trabalhavam com a família eram a Igreja Católica e a Igreja Evangélica, as duas sempre tiveram projetos voltados às nossas famílias. E agora, num momento importante, unimos forças para defender a nossa família, porque os valores familiares estão sendo destruídos a cada dia. A sociedade pensada hoje é a sociedade individualista. Não podemos mais , como representantes do povo, aceitar isso, e essa mudança tem que partir de nós, de nossa casa, de nossa família, para que possamos também alcançar os lares de outras famílias. Se este projeto beneficiar uma única família, já valeu a pena”, concluiu o vereador.