28/10/2015 16:26:29

Violência cresce e assusta moradores dos bairros‏

José Carlos defende “força-tarefa” par ao setor de segurança

José Carlos lamenta caos na segurança pública em Imperatriz José Carlos lamenta caos na segurança pública em Imperatriz. Foto: Fábio Barbosa/Assimp

Imperatriz – Os moradores dos bairros estão assustados com o aumento da violência neste final de ano em Imperatriz. A insegurança tem preocupado a comunidade e os lojistas que solicitam providências à Secretaria de Estado da Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA).

O vereador-presidente José Carlos Soares Barros (PV) relatou nessa terça-feira (27) à “falência do sistema de segurança pública” ao ilustrar o assalto ocorrido em um salão de beleza que rendeu 20 quilos de cabelos avaliados em quase R$ 70 mil. Os bandidos também levaram notebooks e celulares dos clientes. A polícia conseguiu efetuar a prisão de dois suspeitos.

“Pasmem os senhores! Antes da vítima sair da delegacia, os assaltantes já estavam soltos. Tem alguma coisa errada no sistema de segurança pública, pois a vítima demorou muito mais tempo para sair que os bandidos”, questionou ele, ao citar que dos 20 quilos de cabelos o proprietário recebeu de volta 1,3 kg.

Ele lembra que a polícia antigamente efetuava a prisão do suspeito de assalto e realizava diligências para identificar os receptadores dos produtos roubados, onde todos eram levados para Delegacia de Polícia Civil. “A cidade demonstra claramente a fraqueza do sistema de segurança pública, basta ver os assassinatos que voltaram a ser cometidos novamente no centro de Imperatriz”, lamenta.

José Carlos cita o assassinato ocorrido segunda-feira (26) do empresário Fabiano Nascimento Mendonça, 36 anos, praticado por dois homens em uma motocicleta. Foram disparados quatro tiros de revolver na cabeça da vítima.

“Qual é o marginal, o ladrão ou assassino que não deseja agir numa cidade em que o sistema de segurança pública está falido? É preciso ter um sistema de segurança atuante; foi o sistema que deixou falido nesses 40 anos. Pode ter sido. Mas dez meses de governo dava para ter sido feito algo pela segurança pública em Imperatriz”, afirma.

O vereador-presidente sustenta que “falta boa vontade para agir em defesa do povo de Imperatriz, pois entende que não adianta colocar mais 180 ou 1000 policiais militares nas ruas, se a tropa não estiver motivada”. “Falo desde o ano passado: mataram um na Vila Lobão, outro na Vila Cafeteira; de repente estão matando nas barbas do fórum e da prefeitura, no Centro”, cita.

 

Ele diz que o clima é de insegurança é tenebroso em todos os bairros de Imperatriz. E cita que a polícia prende assaltantes de motos, porém antes do proprietário do veículo chegar o bandido comparece com advogado e é liberado imediatamente na Delegacia de Polícia Civil.

Fonte: Mari Marconccine/Assessoria