22/10/2015 15:16:21

Índices de mortalidade serão solicitados ao hospital Materno Infantil‏

A solicitação é do vereador João Silva, que tem recebido inúmeras denúncias em relação ao atendimento na maternidade

“Estão transformando aquela casa, que já foi referência de saúde em Imperatriz “Estão transformando aquela casa, que já foi referência de saúde em Imperatriz". Foto: Fábio Barbosa/Assimp

Imperatriz – Ao usar a tribuna, durante a sessão desta quarta-feira (21), o vereador João Silva (PRB) solicitou à Mesa Diretora, que seja enviado ofício ao diretor do hospital Regional Materno Infantil de Imperatriz, pedindo informações sobre os índices registrados de óbitos e de nascituros dos últimos três meses de 2014 e dos últimos três meses deste ano.

O vereador se preocupou após acompanhar o velório de uma criança de apenas três dias de vida. “A senhora, mãe do recém-nascido gritava: o médico matou meu filho! A criança estava com o rosto amassado. E quando a criança morreu não quiseram dar o corpo para enterrar, foi preciso a gente ir lá no Regional”.

Além dos números dos recém-nascidos, Silva ainda quer saber quantos profissionais foram contratados como enfermeiros (as), e técnicos (as) de enfermagem nos últimos três meses. E quantos funcionários trabalhavam em 2014 e quantos trabalham hoje. “Estou preocupado, porque estão transformando aquela casa, que já foi referência de saúde em Imperatriz. A população está chamando de casa da morte”.

O vereador contou ter recebido uma ligação telefônica de outra senhora, pedindo para que ele buscasse sua filha que estava passando mal no hospital Materno Infantil. Chegando lá, testemunhou o sofrimento de uma moradora do Sumaré, que segundo ele estava toda cortada e chorando copiosamente. 

“Depois disso o meu telefone não parou mais de tocar, as mulheres querendo vir aqui dar depoimento. Se for feita uma audiência pública e convidar essas mulheres, muita gente vai chorar, até quem nunca chorou. A gente sabe que o Regional é administrado pelo Governo do Estado, mas o povo ali atendido é de Imperatriz, que eu represento”.

Fonte: Mari Marconccine/Assessoria