Em greve de fome, representante dos deficientes físicos usa Tribuna Popular‏


Post

Imperatriz - O representante do Movimento da Pessoa com Deficiência Física de Imperatriz, Charles Sebba, usou a Tribuna Popular da Câmara Municipal, durante a sessão desta terça-feira (22), para explicar a situação dos deficientes da cidade, que fazem greve de fome em frente ao fórum de justiça de Imperatriz. A manifestação pacífica iniciou ontem e segue até que seja dada uma resposta plausível aos manifestantes.

Sebba explicou que o movimento reivindica o cumprimento de sentença do processo nº 643/06, que disponibiliza gratuitamente a medicação de uso contínuo. Segundo o representante do movimento, há mais de seis meses os deficientes não recebem a medicação necessária, como colírios, próteses, remédios para o ouvido, entre outros.

O vereador Adonilson Lima (PCdoB), fez o convite de uso da Tribuna ao tomar conhecimento de descumprimento do Termo de Ajusta de Conduta, feito entre Prefeitura, secretaria municipal de Saúde e Ministério Público. “Esse TAC que vai completar quase uma década vem sendo descumprido de maneira regular e, sobretudo nos últimos 180 dias. Essa discussão fez com que o movimento se ampliasse e gerasse uma movimentação desse porte, com cadeirantes fazendo greve de fome e acorrentados e isso cria uma imagem ruim pra nossa cidade.”

Já o vereador Carlos Hermes (PCdoB), que também esteve acompanhando o movimento dos deficientes físicos, declarou ser necessária uma grande justificativa do poder público em não fornecer os remédios, e pediu urgência na solução do problema.“O que está acontecendo é um desrespeito à vida. Pode ser amanhã, hoje, qualquer um de nós pode passar por isso. São pessoas que precisam ser respeitadas. Quando se trata de vida, de saúde, temos que tirar dinheiro de qualquer lugar, não tem jeito.”

Os vereadores Aurélio Gomes (PT) e Antonio José Fernandes (DEM) indignados lamentaram a situação dos cadeirantes e da saúde pública municipal, como um todo. 

Durante a sessão, o vereador Esmerahdson de Pinho (PSDB) fez contato com o prefeito e informou que o processo licitatório no valor de 300 mil reais estaria concluído até ao meio-dia desta terça-feira, para aquisição da medicação.