13/08/2015 14:40:26

Construtora vai desistir da obra de duplicação da BR-010‏

Hamilton Miranda conversou com representantes da empresa; um dos problemas é a ausência de licença ambiental

Obra de duplicação da BR-010, na travessia urbana de Imperatriz, fica somente no projeto Obra de duplicação da BR-010, na travessia urbana de Imperatriz, fica somente no projeto. Foto: Fábio Barbosa/Assimp

Imperatriz – A obra de duplicação e adequação da capacidade e segurança da BR-010, na travessia urbana de Imperatriz, orçada em mais de R$ 168 milhões, prevista para ser executada pela empresa Edeconsil, construtora vencedora da licitação do Governo Federal, não deverá dar continuidade aos serviços. O anúncio foi feito na sessão desta quarta-feira (12) pelo ex-presidente da Câmara de Vereadores, Hamilton Miranda de Andrade.

Segundo ele, “o sonho da população imperatrizense, que resolveria o  grave problema de mobilidade urbana na travessia  urbana da maior cidade do interior maranhense, dificilmente sairá do papel devido aos entraves burocráticos”.  

“Recebi a informação nesse final de semana que a empresa vencedora da licitação pretende pedir o distrato do contrato (desistência)”, disse ele, que antes de divulgar a notícia resolveu consultar os representantes da empresa Edeconsil. “O dono me confirmou que irá pedir o distrato do contrato”, frisou.                          

Miranda observou que o sonho da duplicação da BR-010, no trecho ligando o conjunto Itamar Guará ao posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na Lagoa Verde, acabou deixando milhares de pessoas frustradas.           

Outro motivo que levou o proprietário da construtora Edeconsil a desistir da obra foi a demora (burocracia) no processo de liberação da licença ambiental para duplicação da BR-010 na travessia urbana de Imperatriz. “Infezlimente, venho a essa tribuna para informar essa péssima notícia ao povo de Imperatriz”, contou.

PROJETO – A obra tinha como finalidade dar uma melhor fluidez no tráfego e condição de acesso seguro para entrada e saída na BR-010, integrando nos dois sentidos para o tráfego local, além de drenagem. O eixo central teria duas pistas,  com quatro faixas de tráfego no sentido mão e contra mão. 

No total, seriam construídos oito viadutos e acessos tipo agulha  para cada entrada e saída, bem a construção de quatro pontes de concreto nos acessos à ponte Dom Afonso Felipe Gregory.                                                                 

Fonte: Gil Carvalho/ Assessoria