03/06/2015 04:05:30

Vereadores lamentam morte do jornalista Léo Oliveira‏

Ao usar a Tribuna, o vereador Roma expressou sua indignação com a violência na cidade

Vereador Roma lamenta morte do colega jornalista Léo Oliveira Vereador Roma lamenta morte do colega jornalista Léo Oliveira. Foto: Fábio Barbosa/Assimp

Imperatriz – O vereador-presidente José Carlos Soares Barros (PTB) lamentou nesta terça-feira (2) a morte do jornalista Léo Oliveira, vítima de acidente de trânsito na BR-222, na altura do município de Santa Luzia do Tide-MA.

“Nós lamentamos o ocorrido e externamos à família, parentes e amigos nosso profundo pesar; é mais uma grande perda à imprensa de Imperatriz”, disse ele, no início dos trabalhos legislativos.

Na tribuna, o vereador Raimundo Roma (PSL) – que voltou ao plenário depois da licença de noventa dias, período assumido pelo suplente Alberto Sousa (PDT) – também lamentou a morte do colega jornalista Léo Oliveira. “Eu particularmente trabalhei com ele (Léo Oliveira) na TV Difusora, em Imperatriz”, relembrou.

Roma observou que “o jornalista prestou relevantes serviços ao legislativo imperatrizense ao divulgar os fatos e acontecimentos das sessões ordinárias”. “Ele (Léo Oliveira) nos deixou de forma prematura: esposa, filhos e colegas de profissão”, registrou.

Em homenagem ao colega, o vereador assinalou que o segundo monitor (televisão) instalado na galeria do plenário estava com imagem em tarja preta e com o nome luto e frases em memória ao jornalista Léo Oliveira. “Esse nome luto na tevê é em virtude do falecimento do colega jornalista Léo Oliveira”, frisou.

Violência – O vereador, que também apresenta um programa policial líder de audiência, lamentou a morte da trabalhadora Edilene Castro, vítima de latrocínio na manhã desta terça-feira, no Centro. “Mataram para roubar sua moto (modelo BIZ); uma senhora jovem que tinha a vida toda pela frente, com a família em desespero, vítima de uma violência que somente cresce em Imperatriz”, comentou.

Roma disse ainda que a polícia conseguiu dar uma resposta rápida ao efetuar a prisão do acusado (menor de idade) que possui extensa folha de infrações, inclusive chegou a cumprir pena na Maiobinha, em São Luís. “Esse rapaz teve em processo de ressocialização e teve a oportunidade de voltar para Imperatriz, onde estava em situação de semiliberdade”, finalizou. 

Fonte: Gil Carvalho/Assessoria