05/05/2015 22:42:33

José Carlos manifesta solidariedade aos lojistas da Avenida Dorgival Pinheiro‏

Ele critica a mudança na Avenida Dorgival e mostra soluções

José Carlos: “é preciso discutir e planejar ações de trânsito” José Carlos: “é preciso discutir e planejar ações de trânsito”. Foto: Fábio Barbosa/Assimp

O vereador-presidente José Carlos Soares Barros (PTB) manifestou nessa terça-feira (5) solidariedade aos proprietários de comércios em Imperatriz, principalmente os que foram afetados com a proibição de estacionamento [lado direito] na Avenida Dorgival Pinheiro de Sousa, no Centro.

Segundo ele, a maioria das lojas se concentra nas avenidas Getúlio Vargas e Dorgival Pinheiro de Sousa, consideradas um grande “shopping a céu”, gerando dezenas de postos de trabalho e renda aos trabalhadores da maior cidade do interior do Maranhão.

“Quero esclarecer que não é a Câmara Municipal, mas o vereador José Carlos que está se solidarizando com os donos de comércios, vítimas da falência das lojas da cidade de Imperatriz”, disse ele, que enfatiza a luta das entidades de classes, como é o caso da Associação Comercial e Industrial de Imperatriz (ACII).

José Carlos Soares assinala que o comércio brasileiro, de modo em geral, enfrenta crise econômica, situação que pode se agravar com a concorrência desleal ao proibir estacionamento de veículos, de um lado, da Avenida Dorgival Pinheiro de Sousa, em Imperatriz. “A falta de investimentos e a estagnação da economia ameaça a falência de empresas, fato que não posso como representante de todas as classes deixar que tirem o direito adquirido de alguém, sem dar a recompensa”, frisa.

Estudo – Ele ressalta que desde que o município resolveu disciplinar o estacionamento de veículos na Avenida Dorgival Pinheiro de Sousa tenta convencer o prefeito Sebastião Madeira a realizar um estudo mais profundo visando aperfeiçoar o sistema de estacionamento rotativo na área comercial de Imperatriz. “O motorista terá 15 minutos para resolver seus problemas, mas caso queira passar mais que isso deve comprar o tempo de estacionamento”, sugere. 

Outra proposta seria a criação da chamada “faixa azul”, criando empregos e disciplinando o estacionamento de veículos no setor comercial. “Porém, adotar medidas secas, ditatoriais, sem discussão e planejamento, é um absurdo!”, asseverou ele, que garante travar uma luta pela melhoria dos espaços públicos da cidade, inclusive reiterou que “continua acreditando no prefeito Sebastião Madeira”.

Fonte: Gil Carvalho/Assessoria