18/03/2015 23:45:29

“Projeto Vida por vidas” é apresentado em Tribuna Popular na Câmara Municipal‏

Reconhecido mundialmente, o Projeto conscientiza sobre a importância das doações de sangue e de órgãos, recrutando doadores

“Costumamos dizer que não falta sangue, faltam pessoas para fazer essa doação”, destacou o pastor “Costumamos dizer que não falta sangue, faltam pessoas para fazer essa doação”, destacou o pastor. Foto: Fábio Barbosa/Assimp

Imperatriz – A Tribuna Popular durante a sessão desta quarta-feira (18) foi utilizada pelo pastor Márcio Araújo. O convite foi feito por meio da vereadora Caetana Frazão (PSDB). 

Criado em 2005 no Rio Grande do Sul, pelos jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia, o projeto é reconhecido mundialmente em oito países da America do Sul (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai) e desenvolvido anualmente, com o objetivo de estimular as doações de sangue no período da Páscoa, contribuindo com os hemocentros e hospitais. Em seu segundo ano de atividades, o Projeto foi premiado pela Organização Mundial de Saúde somando mais de 300 mil doadores nos oitos países.

“Costumamos dizer que não falta sangue, faltam pessoas para fazer essa doação. Nos próximos dias 20 e 21 estaremos nesta cidade em dois momentos, das 10 da manhã até as 16 horas, no Hemomar e ainda de forma inovadora no shopping Imperial, com um estande especial para receber muitas pessoas”, informou Araújo.

O Pastor fez uma reflexão sobre a necessidade que temos de ajudar o outro, citando o exemplo da vida de Jesus.

“Salvar vidas é um ato fantástico. Jesus deu sua vida em prol da humanidade, isso não motiva o seu coração a doar também algo à outra pessoa? Diariamente nós temos essa possibilidade. Muito próximo de nós existem pessoas que poderiam estar recebendo aquilo que corre em nossas veias de forma gratuita.”

O Projeto Vida por vidas tem outras frentes além da doação de sangue, a doação de plaquetas e de medula óssea, com as parcerias de municípios, estados e do Governo Federal. 

Para motivar a doação serão distribuídas camisetas vermelhas aos primeiros 500 doadores que chegarem para que participem do ato de mobilização chamado “Gota Humana”.

Fonte: Mari Marconccine/Assessoria