30/10/2014 17:00:50

Vereador solicita que projetos de lei aprovados na Câmara tenham nomes dos autores ‏

O objetivo é o reconhecimento de quem faz história na cidade, ainda em vida

“Nós temos que reconhecer o cidadão, e a história do cidadão, em vida,” concluiu o vereador “Nós temos que reconhecer o cidadão, e a história do cidadão, em vida,” concluiu o vereador. Foto: Fábio Barbosa/Assimp

Imperatriz – Durante o uso da Tribuna, na sessão desta quinta-feira (30), o vereador Francisco Rodrigues da Costa (PR), Chiquim da Diferro falou sobre as pesquisas que realiza nos outros estados do País, sobre leis que são aprovadas e que podem ser adaptadas para cidade.

“Sempre estou procurando determinadas leis que venham ajudar o município de Imperatriz. É uma maneira de se espelhar. Nós fomos a segunda cidade do Brasil a trazer aquela lei que proíbe a CEMAR e a Caema de cortar a energia e a água nos sábados, domingos e vésperas de feriado. O primeiro município foi Belém, o segundo Imperatriz e hoje a lei já existe em várias outras cidades do País.”

O vereador citou dois exemplos, já aprovados em cidades do Rio de Janeiro e em São Paulo onde as leis elaboradas têm o nome do autor. De acordo com Chiquim a sua luta em relação à implantação do projeto é desde o mandato anterior, quando junto com o vereador Edmilson Sanches, na época, elaborou o projeto de lei, que foi vetado pelo prefeito.

“Tenho certeza de que isso não é inconstitucional e nem ilegal, já que dois estados estão fazendo. A maioria do povo faz uma história, e você só vê a história quando ele morre. Nós temos que reconhecer o cidadão, e a história do cidadão, em vida.”

De acordo com o vereador seria importante que ao elaborarem os projetos, cada autor tivesse seu nome registrado na lei e consequentemente na história da cidade. Rodrigues da Costa pediu que cada colega analisasse e discutisse a sugestão.

 

“Fui criado lavando carros e hoje sou vereador por quatro mandatos. Essa é a minha história. Porque as leis desta casa não podem ter o nome dos vereadores que são o autor do projeto? questionou.

Fonte: Mari Marconccine