Ricardo Seidel quer que a CAEMA resolva urgentemente a falta de água que já dura 15 dias no Ouro Verde‏


Post

Data: 18/02/2020 | Fonte: Sidney Rodrigues - ASSIMP | Fotografo: Fábio Barbosa

O vereador Ricardo Seidel (PSD) usou a Tribuna na manhã desta terça, 18, pelo clamor da população do bairro Ouro Verde, que há 15 dias está sem água e a explicação da CAEMA é de que existe uma bomba queimada. Ele já havia feito a mesma reivindicação na quarta da semana passada, mas nada foi resolvido.

“Passar um dia, dois, ainda vai, mais ontem zerou tudo de reserva e hoje completou uma semana sem uma gosta de água. Venho para exigir que a CAEMA resolva esse problema de forma urgente. Não é possível uma cidade que no inverno não tem água por causa da bomba e no verão a bomba não consegue captar, sempre essa bomba. Já são 05 anos de governo estadual e o povo não aguenta mais. Não tem água nem para fazer a comida, tomar banho e as escolas começam a ficar prejudicadas sem aula. A nossa preocupação é com o ser humanos pois é insuportável ficar sem esse líquido, não se vive sem ele, tudo vira um caos, as pessoas sadias sofrem, imaginem as doentes. É nosso papel como parlamentar fazer essas cobranças e exigir as respostas de forma imediata”, disse.

Carlos Hermes (PCdoB) leu um comunicado da CAEMA informando que devido à complexidade do poço P4 do Ouro Verde, equipes continuam trabalhando para retomada do bombeamento e que a normalidade acontecerá após a conclusão, manutenção corretiva, e que a empresa está mandando caminhões pipa para abastecimento emergencial para aquela região. De acordo com ele o problema existe mas tem um trabalho em andamento que resolverá o mais breve possível.

Seidel disse que a população não quer uma nota, uma papel ou uma explicação e sim a solução, pois não se pode admitir que continuem as coisas da forma que estão.     “A arrecadação é altíssima e tem que ser oferecido um serviço que preste pois o consumidor tem que ser digno daquilo que paga. Deixo o clamor da população. Que o governo tenha o bom senso de resolver logo isso e se possível isente pelo menos esse mês dos moradores pagarem conta, por passarem por tanto sofrimento. 15 dias que a população não consegue beber um copo d’água. Não tem água pra lavar roupa, fazer comida nem tomar um banho. Não estão tendo dignidade nem para higiene pessoal e nem para limpar suas casas. Até hoje o bairro continua igual. Fizeram notas com conversa de carros pipa. Peço a verdade. Notas mentirosas, falácia, enrolação. O povo não quer papel, nem desculpas, quer é água. Mas só chega a conta no fim do mês. Dirigentes da CAEMA, tomem vergonha, resolvam o problema, de forma imediata”, finalizou.