Vereadores aprovam o fim da votação secreta na Câmara Municipal de Imperatriz‏


Post

Data: 01/10/2019 | Fonte: Sidney Rodrigues - ASSIMP | Fotografo: Sidney Rodrigues

Aconteceu na sessão desta terça, 01, em Segunda e última discussão e votação, a proposta de emenda à Lei Orgânica nº 02/2019, de autoria de mais de 1/3, dos vereadores, que “Suprime todas as votações secretas da Lei Orgânica do Município de Imperatriz”.

            Adhemar Freitas Jr (PSC), um dos autores do projeto, disse que de agora em diante vai haver uma transformação nas votações do município, principalmente em relação aos vetos: “É uma inovação, o que estamos fazendo. Sei que existe receio de alguns, pois a votação secreta causa uma segurança maior ao vereador, mas isso ficou pra trás, pois estamos dando um passo importante rumo à modernidade. A população precisa saber como votou o seu vereador; e o vereador precisa mostrar sua cara e dizer: votei e assim e foi por isso que votei. É um grande avanço para a cidade de Imperatriz”.

            Zesiel Ribeiro (PSDB) comentou o fato de ouvir algumas opiniões contrárias, mas para ele esse é o mundo da transparência e do homem publico; de assumir e responder pelos seus atos.

“Todo mundo tem o direito de liberdade de expressão, porem é vedado o anonimato. Fez? falou? tem que assumir. E nada mais justo que nós passarmos a aplicar esta regra aqui no parlamento municipal”.

            João Silva (PRB) informou que não terá problemas com isso, pois todas as suas votações são claras e abertas. “Os atos do homem público devem ser públicos, quem dera que todos os poderes tivessem que ser assim”.

            Pedro Gomes (PSC) explicou que quando se chega à câmara todo mundo fala em transparência, mas no mandato alguns não querem ver ela acontecer. “Essa política rasteira e ultrapassada já passou, o eleitor se desenvolveu e estamos dando um grande passo para dizer: Acabou! O voto agora é aberto e saberemos o tamanho de cada vereador”.

            A matéria teve aprovação unanime.

            Para o presidente José Carlos (Patriota), é uma coragem o que a câmara está tendo, pois a partir de agora as votações terão outros significado. Serão abertas e não há mais como se eximir de posicionamentos.