06/05/2014 19:47:07

Professores solicitam criação de comissão para diálogo junto ao executivo municipal‏

Os profissionais que estão em greve, pediram apoio dos vereadores em sessão plenária

Professores em greve solicitam apoio dos vereadores para negociação Professores em greve solicitam apoio dos vereadores para negociação. Foto: Fábio Barbosa/Assimp

Imperatriz - Representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Imperatriz (STEEI) e demais professores municipais que estão em greve lotaram as dependências do auditório da Câmara Municipal. Durante a sessão desta terça-feira (6) foi lida na tribuna pelo vereador Raimundo Roma (PSL), correspondência enviada à casa, solicitando a organização de uma comissão formada por vereadores, sindicato e ministério público.

A comissão ficaria encarregada de fazer uma análise das folhas de pagamento dos professores do município e a verificação das possibilidades de repasse de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), para o ano de 2014 já que o motivo do não pagamento do mesmo é a insuficiência de recursos. 

Greve - Cerca de 70% dos professores estão em greve desde o último dia cinco, conforme informações do sindicato da categoria. No documento enviado à câmara municipal estão registradas informações sobre os índices e valores dos recursos recebidos pelo município e repassados para a categoria provenientes do Fundeb. Segundo o sindicato os repasses não estão de acordo com o que está previsto na Constituição Brasileira e Ministério da Educação.

Os vereadores concordaram e apoiaram a necessidade da comissão, para que se tenha diálogo entre os servidores da educação e o executivo municipal. Neste sentido o vereador líder do governo José Carlos Barros (PTB), se comprometeu a marcar com o prefeito Sebastião Madeira a reunião para discussão, assim que a comissão for formada.  

Audiência pública - Presentes também em plenário, representantes dos trabalhadores da antiga empresa Limp Fort, que detinha a concessão da limpeza urbana de Imperatriz. Os trabalhadores solicitaram o agendamento de uma audiência pública através do vereador Weudson Feitosa (PT do B) para que sejam explicados os motivos do não recebimento dos seus salários, já que o dinheiro se encontra bloqueado na justiça. Eles solicitaram ainda apoio dos vereadores junto ao órgão, para que haja celeridade no processo. O vereador Marco Aurélio Azevedo (PC do B) reforçou o pedido de apoio à mesa diretora da casa, para juntos somarem forças em benefício dos trabalhadores. 

Fonte: Mari Marconccine