CPI da Saúde tem seis assinaturas‏


Post

Data: 04/06/2019 | Fonte: Sidney Rodrigues - ASSIMP | Fotografo: Carlos Gaby

Na manhã desta terça, 04, foi aberta a coleta de assinaturas para solicitar a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) à mesa diretora da Câmara Municipal de Imperatriz, com o objetivo de investigar supostas irregularidades no pagamento de fornecedores e prestadores de serviços da Secretaria Municipal de Saúde.

            O pedido foi protocolado pelos vereadores Bebé taxista e Ditola (ambos do PEN) e provocou discussões na Câmara, que teve suas dependências lotadas por opositores, situacionistas, associações de moradores, usuários do sistema de saúde e entidades da sociedade civil organizada. 

A Favor

            Para os vereadores que deram entrada no requerimento, existem muitas denúncias gritantes e estas foram apresentadas em uma reunião no Ministério Público Federal. Postos parados, consultas não conseguem ser feitas, Centro de Especial de Odontologia não funciona, máquinas quebradas recebem valores de manutenção mesmo sem funcionar, cirurgias de vários tipos não são feitas por falta de material, determinações judiciais não são cumpridas e a ausência de informações solicitadas de contratos e pagamentos realizados, são alguns dos pontos mostrados no relatório. São quase 54 milhões que deram entrada na secretaria de saúde do município desde o inicio do ano, mas estão faltando remédios, colchões; fornecedores de matérias, serviços e médicos estão sem receber.

            “Assinar uma CPI não quer dizer que se assume ou coloca culpa em quem quer que seja, mas que serão esclarecidas todas as dúvidas ou suspeitas e o requerimento está aí para ser assinado. Não é questão política, mas falta tudo. Infraestrutura, saúde, educação. Nosso trabalho é pelo bem de Imperatriz”, disse o vereador Carlos Hermes (PCdoB). 

Contra

            A base do prefeito na Câmara informa que o assunto é polêmico, mas não pode ser tratado como palanque, pois tentam confundir a opinião publica e fazer politicagem. A saúde de Imperatriz atende mais de um milhão de pessoas, mas a cidade só tem 300 mil habitantes. Encontra-se superlotado porque tem serviços sendo prestados de forma satisfatória, por isso vem tanta gente de fora. Informaram também que o prefeito tem lutado e viajado constantemente à Brasília em busca de recursos.

            “Todos os vereadores foram eleitos democraticamente e cada um deve cumprir seu papel. Mas não contem comigo para fazer esses tipos de ações. Devemos ter responsabilidade. Tenho muitas críticas a essa administração, mas não vou transformar a saúde de Imperatriz num show, não assino desta forma”. Declarou Adhemar Freitas Jr (PSC). 

Assinaturas

Seis vereadores assinaram o pedido de CPI: BeBé Taxista, Ditola, Carlos Hermes, Aurélio, Sargento Adelino e Ricardo Seidel, que foi o último a subscrever.

            De acordo com o regimento interno da Câmara, para instalar a CPI, são necessárias sete assinaturas. Estes vereadores irão encaminhar as denúncias das supostas irregularidades à Polícia Federal, ao Ministério Público Estadual e Federal assim que conseguirem o último nome.